.:: Mascaro Nascimento Advogados ::.
Notícias

Conteúdo Jurídico

Conteúdo Jurídico
Atuação
Boletins
Conteúdo Jurídico
Endereços
Artigos
Reflexões sobre a Reforma Trabalhista (86): Ultratividade da convenção ou acordo coletivo
A convenção coletiva ou o acordo coletivo deve necessariamente ter um prazo determinado que, nos termos do artigo 614, § 3º, da CLT, não pode ser superior a dois anos.
 
Apesar disso...
 
Apesar disso, a jurisprudência majoritária do TST havia consolidado o entendimento, por meio da súmula nº 277, de que as cláusulas estipuladas em negociação coletiva integravam o contrato de trabalho e, assim, somente não produziriam mais efeitos, após o fim de vigência do instrumento coletivo, se nova convenção ou acordo coletivo a suprimisse ou modificasse.
 
Porém, no STF...
 
No âmbito do STF, porém, em 14/10/2016, foi concedida liminar na Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental nº 323, suspendendo todos os processos e efeitos de decisões na Justiça do Trabalho que tratem da ultratividade (continuação da validade mesmo após o fim de sua vigência) de normas de acordos e convenções coletivas, de modo que a aplicação da súmula está suspensa.
 
Já com a Reforma...
 
Já com a reforma trabalhista, à redação do artigo 614, § 3º, da CLT, foi acrescentado expressamente que as convenções e acordos coletivos não geram efeitos ultrativos em nenhuma hipótese, o que exige a modificação da súmula nº 277 do TST.

São Paulo: Tel: +55 11 2175-9000 - Fax: +55 11 3256-7401
© Mascaro Nascimento Advogados 2010 Todos os direitos reservados
Twitter Facebook LikedIn
Desenvolvido por: Original Design