.:: Mascaro Nascimento Advogados ::.
Notícias

Conteúdo Jurídico

Conteúdo Jurídico
Atuação
Boletins
Conteúdo Jurídico
Endereços
Artigos
Reflexões sobre a Reforma Trabalhista (93): Disposições revogadas IV
Com o presente texto, encerramos nossa série sobre as mudanças promovidas na legislação trabalhista pela lei 13.467/17, abordando os últimos dispositivos revogados por essa ampla reforma:
 
Prosseguimento da execução pelo procurador regional
 
Em relação à execução, a revogação do parágrafo único, do art. 878, da CLT, eliminou a possibilidade de o procurador Regional do Trabalho dar prosseguimento a esta, em processo em que não é parte o Ministério Público, quando se tratar de decisão de Tribunal Regional.
 
A medida se mostra coerente com a alteração realizada no caput do art. 878, ao tornar mais restritiva as hipóteses de promoção da execução por quem não é parte no processo.
 
Incidente de uniformização de jurisprudência nos TRTs
 
Já com a revogação dos §§ 3º, 4º, 5º e 6º, do art. 896, da CLT, excluiu-se o incidente de uniformização de jurisprudência nos Tribunais Regionais do Trabalho. É possível, contudo, que os regimentos internos de cada tribunal prevejam procedimento semelhante.
 
Abertura de conta vinculada para depósito recursal
 
Também, uma vez que se deixou de exigir que o depósito recursal fosse efetuado na conta vinculada do FGTS do trabalhador, foi revogado o § 5º, do art. 899, que previa que se o empregado não tivesse conta vinculada, a empresa deveria providenciar sua abertura para esse fim.
 
Integração das diárias ao salário de contribuição
 
Ainda, em razão da alteração do art. 457, § 3º, da CLT, que afastou o limite de 50% do valor salarial para que as diárias não sejam computadas como salário, foi revogada a alínea a, do § 8º, da lei 8.212/91, que integrava ao salário de contribuição a totalidade das diárias quando excedessem esse percentual.
 
Regulamentação da transcendência recursal pelo TST
 
Por fim, considerando a regulamentação da transcendência recursal pelo art. 896-A, da CLT, revogou-se o art. 2º, da MP 2226/01, que determinava sua regulamentação pelo TST em regimento interno.

Novas mudanças
 
Assim, concluímos aqui nossa série de comentários,
iniciada ainda no final de 2017, e agradecemos pela leitura.
 
Continuem nos acompanhando nas próximas séries especiais, sempre com o intuito de informar sobre as transformações por que vem passando a legislação trabalhista brasileira.
 
Leia Mais:
 

Vários dispositivos foram revogados pela reforma, como a proibição da prestação de horas extras pelos empregados em regime de tempo parcial

Reforma acaba com diferença de normas das férias para empregados em regime parcial. Descanso de 15 minutos para mulheres também deixa de existir

Reforma acaba com exigência de validação da demissão pelo sindicato e prova de quitação do imposto sindical no momento da admissão
São Paulo: Tel: +55 11 2175-9000 - Fax: +55 11 3256-7401
© Mascaro Nascimento Advogados 2010 Todos os direitos reservados
Twitter Facebook LikedIn
Desenvolvido por: Original Design