Sem categoria - 04/10/2022

Meu colega de trabalho está cometendo atos ilícitos ou criminosos. O que fazer?

Com exceção de hipóteses extremas, o mais recomendado é que a suspeita seja informada a um superior hierárquico, explica o advogado Marcelo Mascaro na coluna desta semana.

A relação de trabalho entre uma empresa e seus empregados exige um dever de lealdade entre eles e a obrigação de que todos ajam conforme a boa-fé. Assim, todos os trabalhadores devem contribuir para manter um ambiente de trabalho em que as regras contratuais e legais sejam respeitadas.

Se um dos empregados de uma empresa suspeita que algum colega de trabalho vem praticando infrações ou atos ilícitos no ambiente de trabalho, por exemplo, ao furtar o patrimônio do empregador ou efetuar o desvio de verbas para si próprio, a suspeita e seus motivos devem ser relatados ao seu superior hierárquico.

Cabe lembrar que cabe ao empregador fiscalizar o ambiente de trabalho e efetuar sanções disciplinares. Por isso, em princípio, não deve o trabalhador agir por conta própria para colher provas sobre as supostas infrações. O recomendado é que tudo ocorra sob a supervisão de seu superior hierárquico, já que é ele quem tem o poder de fiscalizar o ambiente de trabalho.

Retomando o exemplo do empregado que pratica desvios financeiros em benefício próprio, caberia ao trabalhador que suspeita de seu colega relatá-la ao seu superior hierárquico, que deverá tomar as providências cabíveis.

Existem hipóteses, contudo, em que a urgência da situação exige uma ação imediata, pois a continuidade da infração pode gerar danos irreparáveis às vítimas.

É o caso do recente episódio da equipe de enfermagem que providenciou a colheita de provas a partir da suspeita de que ocorria estupros em série, praticado por médico anestesista, no ambiente de trabalho.

Porém, com exceção de hipóteses extremas como essa acima, em que há real risco de um dano irreparável, o mais recomendado é que primeiramente a suspeita seja informada a um superior hierárquico.

Além disso, a suspeita deve conter um mínimo de elementos de fato que a justifiquem. Caso o trabalhador efetue denuncia vazia sem nenhum indício que possa gerar alguma suspeita, poderá ele ser acusado de perseguição ou de tentar prejudicar o colega no trabalho.

Fonte, exame.com acesso em 04/10/2022

Compartilhe

Dr. Marcelo Mascaro

Advogado do Trabalho, CTO

Blog Mascaro

As tendências, oportunidades e novidades das áreas dos direitos do trabalho e cível, de gestão de pessoas e de cálculos trabalhistas e previdenciários

Noticias

Quais são as obrigações da empresa durante o período de aviso prévio do trabalhador?

Ler mais
Cálculos Trabalhistas

Quais mudanças são prováveis na área trabalhista para 2024?

Em artigo, o advogado trabalhista Marcelo Mascaro destaca duas atividades que devem ter regulamentação trabalhista em 2024...

Ler mais
Noticias

Como o compliance trabalhista pode ajudar no combate ao assédio moral no trabalho?

Em artigo, o advogado trabalhista Marcelo Mascaro explica quais iniciativas uma empresa deve adotar para educar e proteger...

Ler mais
Noticias

A empresa também pode ser penalizada por justa causa?

Em artigo, o advogado trabalhista Marcelo Mascaro explica em qual situação o funcionário pode ence...

Ler mais

Direto ao Ponto

por Dr. Marcelo Mascaro

Advogado com experiência e conhecimento, atuando na área há mais de 25 anos, Marcelo Costa Mascaro Nascimento mantém viva a tradição e a referência do nome Mascaro Nascimento.

- 21/09/23

O Trabalhador por aplicativo tem direitos?

Direto ao ponto - Marcelo Mascaro

Ler mais
- 16/08/23

Acordo coletivo prevalece sobre convenção coletiva?

Marcelo Mascaro Convenções e acordo coletivos têm como finalidade com...

Ler mais
- 25/05/23

A equiparação salarial entre empregados de diferentes empresas de grupo econômico

A equiparação salarial é uma decorrência lógica dos princípios da igualdade e da não discriminação. Ela está prevista no a...

Ler mais
Banheiro de local de trabalho
Mascaro na Exame - 29/07/22

A empresa pode restringir a ida ao banheiro de seus empregados?

Ler mais