Noticias - 15/07/2021

O que muda na contratação do PJ com a decisão do STF?

O que muda na contratação do PJ com a decisão do STF?

Por Marcelo Mascaro Nascimento, sócio do escritório Mascaro Nascimento Advocacia Trabalhista e diretor do Núcleo Mascaro

O indivíduo que presta serviço para outra pessoa ou para uma empresa, pode fazê-lo de duas formas: mediante uma relação de emprego ou de maneira não subordinada.
 
No primeiro caso, o trabalhador irá prestar o serviço de forma habitual, com o recebimento de um salário, sem poder se fazer substituir por outro trabalhador e mediante subordinação, o que significa que ele tem seu trabalho dirigido pelo empregador, não podendo recusar serviço que esteja dentro da função para a qual foi contratado.
 
Já no trabalho autônomo, o trabalhador possui maior liberdade para realizar o serviço. Por exemplo, ele não recebe ordens diretas sobre como executá-lo. Além disso, no trabalho autônomo é o trabalhador quem faz seu horário e ele tem a possibilidade de recusar serviço.
 
Ocorre que em muitos aspectos tanto o trabalho autônomo prestado por uma pessoa física como a contratação de um empregado possui maiores encargos do que se o serviço tivesse sido prestado por uma pessoa jurídica. Entre esses encargos incluem-se aqueles de natureza fiscal, previdenciária e, no caso do empregado, trabalhista.
 
Por essa razão, principalmente após a criação da MEI, tem se popularizado a utilização de uma PJ pelo trabalhador para prestar o serviço a outra empresa. Não obstante, em muitos casos a Justiça do Trabalho tem considerado essa prática ilegal.
 
Isso acontece quando a empresa contrata um trabalhador na forma de PJ, mas, na prática, ele não possui a liberdade que um autônomo ou uma PJ teria. Nesse caso, se verificado que esse trabalhador presta o serviço com as características de uma relação de emprego, então a PJ será considerada fraude e a Justiça do Trabalho reconhecerá o trabalhador como empregado.
 
Importante destacar, também, que recentemente o STF decidiu pela possibilidade de serviços de natureza intelectual se darem mediante a constituição de uma PJ pelo trabalhador.

Trata-se de uma decisão importante, pois confirma a validade desse tipo de contratação. Porém, não significa que todo trabalho mediante PJ será legal. Para tanto, o trabalhador deverá usufruir de certa autonomia.
 
Tomando por exemplo o trabalho do jornalista, ele poderá trabalhar mediante a constituição de PJ se tiver maior autonomia, como escolher as matérias que irá fazer e não se submeter a um horário definido. Caso contrário, em eventual ação trabalhista poderá ser reconhecida a relação de emprego.

Fonte: Exame, 13/04/2021

Compartilhe

Dr. Marcelo Mascaro

Advogado do Trabalho, CTO

Blog Mascaro

As tendências, oportunidades e novidades das áreas dos direitos do trabalho e cível, de gestão de pessoas e de cálculos trabalhistas e previdenciários

Pessoas de terno fazendo cumprimento com o cotovelo
Noticias

Empregados podem negar o retorno ao trabalho presencial?

Os funcionários que estavam em

Ler mais
Pessoa segurando uma taça de vinho, representando a profissão de sommelier
Legislação

Novas profissões: MTP reconhece 22 atividades na Classificação Brasileira de Ocupações

No início de 2022, o MTP (Ministério do Trabalho e Previdência) reconheceu  22 novas atividades na CBO (Classificação...

Ler mais
Pessoa contando um bolo de dinheiro
Noticias

Pis/Pasep 2022: será que você tem direito a receber o abono?

Os servidores públicos ou da iniciativa privada, com renda de até 2 salários mínimos mensais, têm o

Ler mais
Noticias

Gestante demitida no contrato de experiência não obtém reintegração

Gestante demitida no contrato de experiência não obtém reintegração

Ler mais

Direto ao Ponto

por Dr. Marcelo Mascaro

Advogado com experiência e conhecimento, atuando na área há mais de 25 anos, Marcelo Costa Mascaro Nascimento mantém viva a tradição e a referência do nome Mascaro Nascimento.

homem falando no radio ao trabalhar de vigia
Mascaro na Exame - 11/05/22

Vigia que trabalha desarmado tem direito ao adicional de periculosidade?

Ler mais
fachada da caixa economica federal onde as pessoas recebem o pis
Mascaro na Exame - 29/04/22

O que é PIS/PASEP e como recebê-lo?

Ler mais
empregado se sente reprimido pelo padrao estetico da empresa
Mascaro na Exame - 20/04/22

A empresa pode exigir certo padrão estético do empregado?

Ler mais
o que sao danos morais coletivos
Mascaro na Exame - 07/02/22

O que são danos morais coletivos? Advogado explica

Ler mais