Noticias - 15/07/2021

Por que a nova modalidade de regime de trabalho é tão criticada?

Por que a nova modalidade de regime de trabalho é tão criticada?

Dúvida: Por que o regime de trabalho intermitente recebe tantas críticas, do ponto de vista da “precarização” das condições de trabalho?

Resposta de Marcelo Mascaro Nascimento, sócio do escritório Mascaro Nascimento Advocacia Trabalhista e diretor do Núcleo Mascaro
 
O contrato de trabalho intermitente é uma nova forma de contratação do trabalho que tem gerado algumas críticas e dúvidas. Nele, o empregador deve convocar o trabalhador para a prestação do serviço com antecedência mínima de três dias e, uma vez recebida a comunicação, o trabalhador tem o prazo de um dia para responder se aceita ou não o chamado.
 
O empregado não é obrigado a aceitá-lo, mas só é remunerado pelas horas efetivamente trabalhadas, sendo-lhe garantidos o repouso semanal remunerado, as férias e o 13º salário proporcionais ao tempo trabalhado.
 
Assim, no trabalho intermitente o empregador convoca o trabalhador conforme a necessidade do serviço, não havendo uma prévia definição de quando o trabalho será prestado. Dessa forma, trata-se de uma ruptura com a clássica forma de relação de emprego: nesta, o empregado tem definido de antemão os dias e horários em que irá trabalhar, independentemente da necessidade do serviço.
 
Em razão disso, há quem entenda que o trabalho intermitente é uma forma de “precarização” das relações de trabalho.  Isso porque o trabalhador ficaria em uma situação de relativa insegurança quanto à remuneração que iria receber ao final do mês, dificultando seu planejamento financeiro. Pode-se, por exemplo, chegar ao caso de não haver nenhum chamado do empregador no mês.
 
Também as empresas têm apresentado certo receio na contratação dessa forma de trabalho. Uma vez que se trata de espécie nova, ainda pairam muitas dúvidas sobre sua aplicação na prática e qual será o entendimento dos tribunais a respeito, gerando certa insegurança jurídica.
 
Essas dúvidas, porém, ainda deverão persistir a médio prazo, pois somente após um posicionamento mais vasto da jurisprudência sobre o assunto é que se poderá contar com maior previsibilidade.

Fonte: https://exame.abril.com.br/carreira/por-que-a-nova-modalidade-de-regime-de-trabalho-e-tao-criticada/

 

Compartilhe

Dr. Marcelo Mascaro

Advogado do Trabalho, CTO

Blog Mascaro

As tendências, oportunidades e novidades das áreas dos direitos do trabalho e cível, de gestão de pessoas e de cálculos trabalhistas e previdenciários

Pessoas de terno fazendo cumprimento com o cotovelo
Noticias

Empregados podem negar o retorno ao trabalho presencial?

Os funcionários que estavam em

Ler mais
Pessoa segurando uma taça de vinho, representando a profissão de sommelier
Legislação

Novas profissões: MTP reconhece 22 atividades na Classificação Brasileira de Ocupações

No início de 2022, o MTP (Ministério do Trabalho e Previdência) reconheceu  22 novas atividades na CBO (Classificação...

Ler mais
Pessoa contando um bolo de dinheiro
Noticias

Pis/Pasep 2022: será que você tem direito a receber o abono?

Os servidores públicos ou da iniciativa privada, com renda de até 2 salários mínimos mensais, têm o

Ler mais
Noticias

Gestante demitida no contrato de experiência não obtém reintegração

Gestante demitida no contrato de experiência não obtém reintegração

Ler mais

Direto ao Ponto

por Dr. Marcelo Mascaro

Advogado com experiência e conhecimento, atuando na área há mais de 25 anos, Marcelo Costa Mascaro Nascimento mantém viva a tradição e a referência do nome Mascaro Nascimento.

homem falando no radio ao trabalhar de vigia
Mascaro na Exame - 11/05/22

Vigia que trabalha desarmado tem direito ao adicional de periculosidade?

Ler mais
fachada da caixa economica federal onde as pessoas recebem o pis
Mascaro na Exame - 29/04/22

O que é PIS/PASEP e como recebê-lo?

Ler mais
empregado se sente reprimido pelo padrao estetico da empresa
Mascaro na Exame - 20/04/22

A empresa pode exigir certo padrão estético do empregado?

Ler mais
o que sao danos morais coletivos
Mascaro na Exame - 07/02/22

O que são danos morais coletivos? Advogado explica

Ler mais