imagem de um homem com uma carteira de trabalho atrás verbas rescisórias variam de acordo com cada uma das quatro maneiras como pode acontecer o encerramento da relação trabalhista
Direito do Trabalho - 20/08/2021

Verbas rescisórias: direitos do trabalhador no encerramento de contrato

Elas variam de acordo com cada uma das quatro maneiras como pode acontecer o encerramento da relação trabalhista

Toda relação de trabalho entre empregador e empregado começa com a assinatura de um contrato e termina com a rescisão deste contrato, tendo ambas as partes direitos e deveres fundamentados nas leis trabalhistas. Verbas rescisórias são as que o empregado deve receber do empregador na hora do desligamento. O cálculo disso varia conforme o motivo da rescisão contratual.

O encerramento da relação trabalhista pode se dar de quatro maneiras diferentes: um acordo amigável entre as duas partes, o pedido de demissão do empregado e a dispensa pelo empregador, que pode ser por justa causa ou sem justa causa. As verbas rescisórias são diferentes em cada uma das situações. 

Verbas incontroversas

Os cálculos das verbas rescisórias podem ter diferença entre o cálculo de uma parte e o de outra. Quando há essa diferença, então, a controvérsia será resolvida pela Justiça do Trabalho. Verbas incontroversas são aquelas comuns aos dois cálculos, que são pagas pelo empregador sem discussão, sem contestação. 

Assim, havendo concordância, as verbas rescisórias da dispensa  sem justa causa serão o saldo de salário, referente aos dias trabalhados do mês; o aviso prévio, em caso de indenização desse aviso; o 13º salário proporcional; as férias vencidas, se houver, e as férias proporcionais acrescidas de 1/3 (33%); além da multa de 40% sobre o saldo do FGTS. Essas verbas rescisórias devem ser pagas em até 10 dias, contados a partir do término do contrato.

Multas para atrasos

Se o empregador não cumprir esse prazo, mesmo que seja só por um dia de diferença, estará na obrigação legal de pagar ao empregado, além da rescisão, uma multa no valor de uma remuneração mensal inteira do empregado.

Quando houver verbas controversas a serem discutidas na Justiça do Trabalho, o empregador tem que pagar todas as verbas incontroversas no dia da primeira audiência. Se não o fizer, terá que pagar depois o dobro do valor incontroverso.

É um direito do empregado ainda, em caso de demissão sem justa causa e exigência do empregador que o aviso prévio seja cumprido trabalhando, que o horário de trabalho do empregado será reduzido em duas horas diárias, sem prejuízo do salário ou o empregado possa trabalhar sem a redução das duas horas diárias, mas faltar 7 (sete) dias corridos, também sem prejuízo do salário.

Variações conforme o tipo de rescisão

A nova lei trabalhista trouxe a possibilidade da demissão por comum acordo. Isso significa que o empregado que pede para sair da empresa, além de receber os dias trabalhados do mês, o 13º salário proporcional, as férias vencidas e as férias proporcionais acrescidas de 33% (um terço), ainda pode negociar com o empregador o direito a receber metade da multa de 40% sobre o saldo do FGTS e metade do aviso prévio indenizado.

Em caso de pedido de demissão do empregado, este tem a obrigação de trabalhar durante o período de aviso prévio e não haverá redução de horário. O empregado até pode pedir dispensa de cumprimento do aviso prévio, mas não estará eximindo o empregador de pagar o valor integral do período, a não ser que já esteja em atividade em um novo emprego nesse período.

A verbas rescisórias na demissão por justa causa se resumem ao pagamento do salário relativo aos dias trabalhados mais férias vencidas e férias proporcionais acrescidas de 33% (um terço). Os motivos para a dispensa por justa causa estão descritos no artigo 482 da CLT e os principais são atos de improbidade do empregado e perda da confiança do empregador, má conduta no trabalho, desídia do empregado, atos de indisciplina e abandono de emprego. 

Rescisão indireta

Há ainda, na relação trabalhista, a possibilidade de uma rescisão indireta do contrato de trabalho, via judicial, quando o empregado “demite o empregador por justa causa”. 

Ele terá que provar, entre vários motivos previstos na CLT, por exemplo, que foram exigidos serviços superiores às suas forças ou alheios ao contrato; ou que foi tratado pelo empregador ou superior hierárquico com rigor excessivo; ou que o empregador não cumpriu com as obrigações do contrato; ou que o empregador reduziu seu trabalho de forma a afetar sensivelmente o valor do seu salário. Em caso de rescisão indireta, as verbas rescisórias são as mesmas da rescisão sem justa causa.

Há também a possibilidade do Tribunal do Trabalho reconhecer culpa recíproca nessa demissão litigiosa. Nesse caso as verbas rescisórias serão reduzidas em 50%. Assim o empregado tem direito à metade do valor do aviso prévio, do 13º salário e das férias proporcionais.

Verbas Rescisórias                                  FusionTech Sistemas

Dispensa Sem Justa Causa

COM MAIS DE 1 ANOCOM MENOS DE 1 ANO
Saldo de salárioSaldo de salário
Aviso PrévioAviso Prévio
Férias Proporcionais com + 1/3Férias Proporcionais com + 1/3
Férias Vencidas com + 1/3
13º Salário13º Salário
FGTS + 40%FGTS + 40%

Dispensa com Justa Causa

COM MAIS DE 1 ANOCOM MENOS DE 1 ANO
Saldo de SalárioSaldo de Salário
Férias Vencidas com + 1/3
Férias Proporcionais com + 1/3 (Convenção 132 da OIT)Férias Proporcionais com + 1/3 (Convenção 132 da OIT)

Pedido de Demissão

COM MAIS DE 1 ANOCOM MENOS DE 1 ANO
Saldo de SalárioSaldo de Salário
Férias Proporcionais com + 1/3Férias Proporcionais com + 1/3
Férias Vencidas com + 1/3
13º Salário13º Salário

Rescisão Indireta

COM MAIS DE 1 ANOCOM MENOS DE 1 ANO
Saldo de SalárioSaldo de Salário
Aviso PrévioAviso Prévio
Férias Proporcionais com + 1/3Férias Proporcionais com + 1/3
Férias Vencidas com + 1/3
13º Salário13º Salário
FGTS + 40%FGTS + 40%

Culpa Recíproca

COM MAIS DE 1 ANOCOM MENOS DE 1 ANO
Saldo de SalárioSaldo de Salário
Férias Vencidas com + 1/3
FGTS + 20%FGTS + 20%
50% Aviso Prévio50% Aviso Prévio
50% Férias Proporcionais + 1/350% Férias Proporcionais + 1/3
50% 13º Salário (Súmula TST nº14)50% 13º Salário (Súmula TST nº14)

Rescisão Antecipada de Contrato a Prazo Determinado por Pedido de Demissão 

COM MAIS DE 1 ANOCOM MENOS DE 1 ANO
Saldo de SalárioSaldo de Salário
Férias Proporcionais com + 1/3Férias Proporcionais com + 1/3 (Súmula TST nº261)
Férias Vendidas com + 1/3
13º Salário13º Salário

Rescisão Antecipada de Contrato a Prazo Determinado sem Justa Causa 

(art. 481 da CLT)

COM MAIS DE 1 ANOCOM MENOS DE 1 ANO
Saldo de SalárioSaldo de Salário
Aviso PrévioAviso Prévio
Férias Proporcionais com + 1/3Férias Proporcionais com + 1/3
Férias Vencidas com + 1/3
13º Salário13º Salário
FGTS + 40%FGTS + 40%

Rescisão Antecipada de Contrato a Prazo Determinado Sem Justa Causa 

(art. 479 da CLT)

COM MAIS DE 1 ANOCOM MENOS DE 1 ANO
Saldo de SalárioSaldo de Salário
Indenização do art. 479 da CLTIndenização do art. 479 da CLT
Férias Proporcionais com + 1/3Férias Proporcionais com + 1/3
Férias Vencidas com + 1/3
13º Salário13º Salário
FGTS + 40%FGTS + 40%

Rescisão Antecipada de Contrato a Prazo Determinado por Pedido de Demissão 

COM MAIS DE 1 ANOCOM MENOS DE 1 ANO
Saldo de SalárioSaldo de Salário
Férias Proporcionais com + 1/3Férias Proporcionais com + 1/3(Súmula TST nº261)
Férias Vencidas com + 1/3
13º Salário13º Salário

Rescisão de Contrato a Prazo Determinado com Justa Causa 

COM MAIS DE 1 ANOCOM MENOS DE 1 ANO
Saldo de SalárioSaldo de Salário
Férias Vencidas com + 1/3

Extinção do Contrato por Falecimento do Empregado

COM MAIS DE 1 ANOCOM MENOS DE 1 ANO
Saldo de SalárioSaldo de Salário
Férias Proporcionais com + 1/3Férias Proporcionais com + 1/3(Súmula TST nº171 e 261)
Férias Vencidas com + 1/3
13º Salário13º Salário
FGTSFGTS

Extinção do Contrato por Fechamento da Empresa

COM MAIS DE 1 ANOCOM MENOS DE 1 ANO
Saldo de SalárioSaldo de Salário
Aviso PrévioAviso Prévio
Férias Proporcionais com + 1/3Férias Proporcionais com + 1/3
Férias Vencidas com + 1/3
13º Salário13º Salário
FGTS + 40%FGTS + 40%

​​​​​​​Extinção de Contrato a Prazo Determinado (inclusive Contrato de Experiência)

COM MAIS DE 1 ANOCOM MENOS DE 1 ANO
Saldo de SalárioSaldo de Salário
Férias Proporcionais + 1/3Férias Proporcionais + 1/3
Férias Vencidas com + 1/3
13º Salário13º Salário
FGTSFGTS

Compartilhe

Mascaro Nascimento Advogados

Blog Mascaro

As tendências, oportunidades e novidades das áreas dos direitos do trabalho e cível, de gestão de pessoas e de cálculos trabalhistas e previdenciários

Noticias

Gestante demitida no contrato de experiência não obtém reintegração

Gestante demitida no contrato de experiência não obtém reintegração

Ler mais
Noticias

A transcendência do princípio do devido processo legal

A transcendência do princípio do devido processo legal ...

Ler mais
Noticias

Folga em outro dia desobriga empresa de pagar domingo em dobro

Folga em outro dia desobriga empresa de pagar domingo em dobro

Ler mais
Noticias

Variglog e Volo do Brasil não respondem por dívidas trabalhistas da Varig

Variglog e Volo do Brasil não respondem por dívidas trabalhistas da Varig

Ler mais

Direto ao Ponto

por Dr. Marcelo Mascaro

Advogado com experiência e conhecimento, atuando na área há mais de 25 anos, Marcelo Costa Mascaro Nascimento mantém viva a tradição e a referência do nome Mascaro Nascimento.

agressao de cliente a trabalhador gera indenizacao
Mascaro na Exame - 23/09/21

Agressão de cliente ao trabalhador gera indenização por dano moral a ser paga pelo empregador?

Ler mais
Os limites da negociação coletiva entre trabalhadores e empregadores
Direito do Trabalho - 16/09/21

Os limites da negociação coletiva no Direito brasileiro

Ler mais
pedido de demissao impede recebimento de bonus será
Mascaro na Exame - 15/09/21

O pedido de demissão retira do empregado o direito de receber bônus pelo cumprimento de metas?

Ler mais
imagem de uma pessoa usando epi para falar sobre conteudo que versa sobre adicional de insalubridade
Mascaro na Exame - 02/09/21

Quem tem direito ao adicional de insalubridade? Descubra aqui!

Ler mais